Comunicação | Notícia
SELECT * FROM `n_noticias` WHERE `num`='993'
NOTÍCIAS - Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul - atualizado em 23/07/2015 19:07
Repasses do Estado para construção de redes de água no interior estão atrasados
Tamanho da Fonte: a-  A+

Na quinta-feira, dia 16, o vereador Maquinho Vivian (PMDB) esteve na Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em reunião com o Secretário Adjunto, Iberê de Mesquita Orsi, juntamente com o presidente da Associação dos Produtores Rurais do Santa Barbinha, João Alaor Maciel Moraes, onde trataram sobre convênio assinado em 15 de setembro de 2014, junto ao Badesul, com a liberação de R$ 100 mil, para construção de uma rede de distribuição de água na comunidade, para levar água às casas dos moradores, provenientes dos poços artesianos que já estão prontos, e que foram feitos com máquinas do Estado.

Segundo o secretário, estes recurso, entre outros, em torno de R$ 700 milhões, que eram para investimentos para redes de água no Estado, foram remanejados para o caixa único do Estado, no final de 2014, onde foram usados para pagamento da folha. Só que este recurso deve retornar ao orçamento e ser aplicado nestes projetos, tendo em vista, Lei de Responsabilidade fiscal, até o final de 2015.

A preocupação do presidente da associação, é que, se este recurso não vier até o final do ano,  temem que o custo dos materiais previstos no projeto não seja suficiente para fazer a obra, que irá beneficiar cerca de 35 famílias na região do Santa Barbinha. É a mesma situação dos recursos para construção da rede de água da Coxilha de São José. Segundo o Secretário Orsi, estes valores deverão ser aplicados até o final de 2015.

Marquinho e João Alaor também estiveram com o Presidente da Emater, Clair Kuhn, para solicitar um apoio da entidade na liberação desta verba, pois foram os técnicos de Caçapava do Sul que desenvolveram o projeto e são os responsáveis pelo acompanhamento durante o andamento da obra. O vereador entregou um documento ao presidente apresentando a urgência no andamento da obra e na liberação destes recursos o mais breve possível, para que estas famílias tenham a rede de água instalada o quanto antes, uma vez que este valor já foi liberado  no governo anterior.